| REFERÊNCIA EM RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA |

Menu

NOVIDADE ANGIORAD

Vanguarda da terapia endovascular

Recife na vanguarda da embolização da próstata


Dr. Gustavo Andrade, mais conhecido como Gustavo Pipoca, está envolvido no desenvolvimento e aprimoramento da embolização da próstata há 3 anos, já tendo realizado e ministrado cursos no Brasil e no exterior. Com vários trabalhos publicados sobre o assunto em revistas internacionais, é uma referência neste procedimento e foi entrevistado para esclarecer algumas dúvidas.

 

O que é a embolização da próstata?

Dr. Gustavo Andrade: A embolização da próstata, ou melhor, a embolização das artérias da próstata, consiste na oclusão intencional destes vasos que nutrem a próstata doente (aumentada), levando à falta de oxigênio com morte de células e redução do tamanho da próstata. Os procedimentos de embolização são realizados há cerca de 30 anos, porém, especificamente para a próstata, é mais recente.

 

Quando o senhor começou a realizar embolização da próstata?

Dr. Gustavo Andrade: Em abril de 2015 iniciamos um estudo após aprovação na Plataforma Brasil comparando a embolização com a RTUP (raspagem), onde 10 pacientes foram submetidos a cada técnica e comparados. O resultado foi animador e, em 2016, aprovamos uma nova pesquisa para avaliar e otimizar a dose de radiação durante este procedimento, quando mais 40 pacientes foram incluídos. No final de 2016, obtive dupla aprovação do CFM (Conselho Federam de Medicina) para realização da embolização prostática, um pelo curso realizado na USP e outro por notório conhecimento. Após a conclusão destas pesquisas, continuamos realizando e já ultrapassamos os 70 pacientes, não sendo mais procedimento experimental como muitos ainda afirmam.

 

Qual o grau de satisfação e como compara o resultado com a raspagem (RTUP)?

Dr. Gustavo Andrade: Nenhuma técnica é perfeita e imbatível, cada uma tem suas vantagens e desvantagens. De forma geral, considero como vantagens da embolização o maior conforto (sem internamento) e o menor risco de complicações como transfusão sanguínea, impotência e incontinência urinária. Por outro lado, há desvantagens, principalmente pela durabilidade do resultado que parece um pouco menor e a melhora dos sintomas que não é imediata, mas atingida cerca de 90 dias após o procedimento.

 

Este procedimento é coberto pelas Operadoras de saúde?

Dr. Gustavo Andrade: As operadoras seguem o rol de procedimentos da ANS e este procedimento não é contemplado. Assim, elas não são obrigadas a custear esta opção. Porém, algumas partiram na frente e, diante dos resultados favoráveis e do menor custo total, começaram a arcar com este tipo de procedimento. Infelizmente ainda são poucas.

 

Se meu convênio não paga, como consigo realizar a embolização prostática?

Dr. Gustavo Andrade: Diante do impasse e da não obrigatoriedade, o paciente pode arcar com o custo ou participar de alguma pesquisa que possibilite a realização sem custos. Adianto que este procedimento, com absolutamente tudo incluído, fica em torno de R$ 19.000,00 (dezenove mil reais).

 

Qual o diferencial que considera nos profissionais que realizam embolização da próstata?

Dr. Gustavo Andrade: As artérias prostáticas são bastante finas e tortuosas, sendo um procedimento complexo e desafiador. Além disto, há uma grande sobreposição de vasos nesta região e a identificação do vaso correto não é simples, exigindo experiência do intervencionista. Equipamento moderno é fundamental assim como o acesso radial torna tudo muito mais confortável. Em suma, não é um procedimento para o profissional fazer um perdido, mas ter um volume razoável que possibilite adquirir experiência.