| REFERÊNCIA EM RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA |

Menu

NOVIDADE ANGIORAD

Vanguarda da terapia endovascular

O Recife na vanguarda da terapia endovascular dos aneurismas cerebrais


Uma entidade comum e muito amedrontadora, o aneurisma cerebral, faz parte do dia a dia da equipe ANGIORAD

Quem não conhece um parente ou amigo que teve um aneurisma cerebral? O tratamento, até a década passada era eminentemente cirúrgico, promovendo a clipagem do aneurisma para evitar a ruptura de sua parede.

Com o avanço das técnicas endovasculares (Neurorradiologia), as embolizações avançaram sobremaneira nas últimas duas décadas, se estabelecendo como uma opção absolutamente comparável à cirurgia, apresentando resultados ainda melhores nos casos de hemorragia. “É importante diferenciar o aneurisma que nunca rompeu, denominado incidental, do aneurisma que já sangrou, ou seja, aneurisma roto. Este último, pela hemorragia que já ocorreu, é um quadro muito mais grave” afirma o Neurocirurgião e Neurorradiologista Dr. José Laércio Silva.

No início dos anos noventa, a técnica de embolização cerebral ainda estava engatinhando, sendo possível embolizar apenas os de morfologia simples, correspondendo a cerca de um terço dos aneurismas cerebrais. Com a evolução da técnica e dos dispositivos acessórios (stents e balões), a maioria dos aneurismas tornaram-se possíveis de serem tratados por embolização, atingindo percentuais superiores a 90%. A técnica é totalmente realizada por cateterismo, através da virilha, sem incisões ou suturas. “Nos últimos 5 anos ainda surgiram os novos stents redirecionadores de fluxo, auxiliando ainda mais a técnica e o arsenal disponível” afirma o Radiologista Dr. Carlos Abath.

A equipe da ANGIORAD já embolizou mais de mil aneurismas e os números têm aumentado a cada ano, especialmente por ter sido incorporada ao SUS na última década. Os maiores hospitais privados do Recife dispõem de serviço 24h para este tratamento nos casos emergenciais. A ANGIORAD presta este serviço ao Real Hospital Português, Hospital Santa Joana, Hospital Memorial São José, Hospital São Marcos, Hospital Jayme da Fonte e Hospital da Unimed. No SUS, este tratamento já está disponível no IMIP, Hospital Pelópidas Silveira e no Hospital da Restauração. “Atualmente, nestes serviços citados, são embolizados mais de 40 aneurismas por mês, levando Recife para posição de destaque na especialidade. Recebemos pacientes de todo norte-nordeste” complementa o Radiologista Dr. Gustavo Andrade – Pipoca.