| REFERÊNCIA EM RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA |

Menu

TRATAMENTO PERCUTÂNEO DE OSTEOMA OSTEÓIDE COM ABLAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA
Agosto 2019


Osteoma osteóide é um tumor ósseo benigno (representa cerca de 12% dos tumores ósseos benignos), caracterizado por um quadro clínico típico de dor significativa, que piora à noite, sem relação com esforços e que melhora com uso de anti-inflamatório não esteroidal. Seu aspecto de imagem também é característico, de lesão óssea pequena (<1 to 1.5 cm) com nidus radiolucente e bordas escleróticas.

Afeta usualmente pacientes jovens (a maior parte até a segunda década de vida), e se localiza mais frequentemente nos membros inferiores (fêmur proximal – mais comum). Outras localizações comuns são restante do fêmur, tíbia, pelve e coluna. Meninos são afetados 2 a 3 vezes mais que meninas.

O tratamento está indicado para os casos de osteoma osteóide sintomáticos e pode ser realizado através de ressecção cirúrgica ou ablação.

A ablação é um método minimamente invasivo, comumente usado no tratamento de tumores hepáticos, renais, pulmonares e ósseos. Nas ablações térmicas, é usada energia para aquecer ou resfriar os tecidos a temperaturas tão altas ou tão baixas que induzam morte celular dos tumores e tecidos vizinhos. Em casos bem indicados, apresenta excelentes resultados.

No tratamento do osteoma osteóide, é realizado através da inserção de uma agulha, através da pele (sem cortes), no interior da lesão óssea, guiado por tomografia computadorizada ou fluoroscopia. O procedimento tem curta duração e é considerado por muitos o método de primeira escolha. Usualmente o paciente recebe alta hospitalar após 3-24horas.

Nas imagens, caso de paciente de 8 anos com quadro de dor incapacitante diária, à noite, com resposta parcial ao uso de anti-inflamatório. Tinha lesão compatível com osteoma osteóide no fêmur direito proximal. Realizado tratamento de ablação com agulha de radiofrequência (Cool-tip Ablations System e Series – Medtronic) e ciclo de 6 minutos. Dois dias após o procedimento, o paciente não apresentava mais dor.

  • Motamedi D et al. Thermal Ablation of Osteoid Osteoma: Overview and step-by-step guide. RadioGraphics 2009; 29:2127–2141.

Disponível em: https://pubs.rsna.org/doi/full/10.1148/rg.297095081