| REFERÊNCIA EM RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA |

Menu

ANGIOPLASTIA COM STENT DE ESTENOSE DE SEIO VENOSO CEREBRAL NA HIPERTENSÃO INTRACRANIANA IDIOPÁTICA
Agosto 2019


A hipertensão intracraniana idiopática (HII) é caracterizada por cefaleia, papiledema, alterações no campo visual e zumbido com pressões elevadas de abertura do líquido espinhal cerebral na punção lombar. Se não for tratada, essa condição pode levar à perda visual permanente. As modalidades de tratamento anteriores incluem tratamento médico, punção lombar terapêutica e fenestração da bainha do nervo óptico. Eles provaram ser eficazes, mas apresentam altas taxas de recorrência dos sintomas ou complicações processuais. As estenoses focais do seio venoso foram identificadas em muitos pacientes com HII, levando ao desenvolvimento de tratamento por angioplastia do seio venoso e implante de stent.

Uma revisão da literatura identificou pacientes com HII tratados com stent de seios venosos. Os dados e resultados do procedimento são apresentados. Um total de 143 pacientes com HII (87% mulheres, idade média de 41,4 anos,  tratados com stent de seio venoso foram incluídos na análise. Os sintomas na apresentação inicial incluíram dor de cabeça (90%), papiledema (89%), alterações visuais (62%) e zumbido pulsátil (48%). Houve uma taxa de sucesso técnico de 99% para o procedimento de colocação de stent, com um total de nove complicações (6%). No seguimento (média de 22,3 meses), 88% dos pacientes apresentaram melhora na dor de cabeça, 97% demonstraram melhora ou resolução do papiledema, 87% apresentaram melhora ou resolução dos sintomas visuais e 93% apresentaram resolução do zumbido pulsátil. Em pacientes com HII com estenose focal do seio venoso, a colocação de stent endovascular na região do seio estenótico representa uma estratégia de tratamento eficaz, com alta taxa de sucesso técnico e menor taxa de complicações em comparação com as modalidades de tratamento atualmente utilizadas.

O caso ilustrado é de uma paciente de 33 anos com papiledema, cefaleia intensa, zumbido e perda progressiva do campo visual. Foram realizadas aferioções da pressão em todo trajeto do seio transverso e sigmoide direito, sendo evidenciado diferença de pressão de 10 mm/Hg relacionada ao ponto de estenose. Após o diagnóstico, foi instituído o tratamento por angioplastia com Stent (Precise – Cordis), devido sua facilidade de navegação e acomodação em tortuosidades. O procedimento transcorreu sem intercorrências, havendo resolução completa dos sintomas após 30 dias.

Vários estudos demonstraram que a estenose do seio venoso cerebral pode ser uma causa potencial ou agravamento da hipertensão intracraniana idiopática (HII). A terapia endovascular para angioplastia de estenose do seio cerebral está emergindo como uma alternativa potencial ao tratamento com HII.

  1. Venous sinus stenting for idiopathic intracranial hypertension: a review of the literature. Puffer RC1Mustafa WLanzino G.
  2. Endovascular treatment for venous sinus stenosis in idiopathic intracranial hypertension. He CZ1Ji XMWang LJLiu XTZhang XWang SChen JLing F.
  3. Impaired drainage of vein of Labbé following venous sinus stenting for idiopathic intracranial hypertension. Boddu SR1,2Gobin YP1Dinkin M3Oliveira C3Patsalides A1.